Promotor de Justiça Tales Tranin toma posse como titular da 4ª Promotoria Criminal de Rio Branco

A procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, assinou nesta segunda-feira, 09, em solenidade realizada em seu gabinete, o Ato de posse do promotor de Justiça Tales Fonseca Tranin como titular da 4ª Promotoria Criminal de Rio Branco.

O membro do MPAC prestou compromisso regimental e assinou o termo de posse na presença do corregedor-geral do MPAC, procurador de Justiça Celso Jerônimo, do assessor especial da Procuradoria Geral de Justiça, promotor de Justiça Almir Branco, secretário-geral do MPAC, Rodrigo Curti e promotores-corregedores Wendy Takao e Whashington Medeiros.

A decisão final foi votada durante a 4ª Sessão Ordinária do Colégio de Procuradores de Justiça do MPAC, na última quarta-feira, 4.

“E importante ser titular de uma Promotoria de Justiça que a gente se identifica. Eu gosto muito da matéria penal, por isso nessa matéria eu trabalho com muita vontade. Os presídios são lugares que apresentam muitas dificuldades, então, é preciso muita disposição e gostar do que faz para enfrentar os problemas. Fico muito contente de estar a frente dessa Promotoria de Justiça e grato à PGJ pelo apoio, e a compreensão da gestão em entender a importância disso”, declarou Tranin.

Atuação eficaz

Na última quinta-feira, 5, três toneladas de alimentos vencidos foram apreendidas no Presídio Francisco de Oliveira Conde, em Rio Branco, durante uma vistoria realizada pela Promotoria de Execução Penal e Fiscalização de Presídios, trabalho coordenador pelo Promotor de Justiça Tales Tranin.

O membro do MPAC acionou a Vigilância Sanitária, após encontrar carne, ovos, toscana, mortadela, entre outros alimentos com prazo de validade vencido. Diante do ocorrido, o Ministério Público irá adotar medidas no âmbito criminal e cível para punir a empresa responsável pelo serviço.

“Aproveito para parabenizá-lo, doutor Tales, por esse belíssimo e inédito trabalho que o senhor realiza através das inspeções nos presídios, inclusive, trazendo fatos como o das últimas inspeções dos alimentos que serve a comunidade que está ali”, externou Kátia Rejane.

Ana Paula Pojo e Tiago Teles – Agência de Notícias do MPAC