Porto Acre: CAV promove oficina para a rede de proteção de crianças e adolescentes

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio do Centro de Atendimento à Vítima (CAV), realizou, na última quarta-feira (27), no município de Porto Acre, uma oficina sobre o fluxo de atendimento para a rede de proteção de crianças e adolescentes.

Proposta pelo promotor de Justiça de Porto Acre, Carlos Pescador, a capacitação teve como objetivo fortalecer a atuação conjunta dos órgãos que trabalham com a garantia de direitos de crianças e adolescentes naquele município. Outras oficinas com a mesma temática foram realizadas anteriormente no Bujari, em Assis Brasil e em Sena Madureira.

Profissionais das áreas de assistência social, educação, saúde, do Conselho Tutelar e do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do município participaram da oficina, que teve como facilitadoras a assessora jurídica Otília Amorim e a psicóloga Marian Brilhante, ambas do CAV.

“Promovemos essa capacitação por conta do alto índice de crimes sexuais. Reunimos os participantes da rede de proteção para que eles pudessem afinar suas atividades e entender o papel de cada um deles na rede”, destacou o promotor de Justiça Carlos Pescador.

A atividade abordou teoria e prática, com discussão sobre violência sexual, exposição da experiência de atuação do CAV e abordagem de estudos de caso, para que os participantes identificassem problemas e apontassem soluções.

A psicóloga Marian Brilhante explicou que o CAV vem replicando o trabalho de realização das oficinas junto às equipes que tem contato com as vítimas. “Levamos essa explanação para que eles possam compreender melhor o que é a violência sexual, levamos conceituações, e reafirmamos a importância da rede estar conectada na proteção dessas crianças e adolescentes tanto na prevenção quanto depois, para que o agressor possa ser punido e a vítima protegida”, disse.

Agência de Notícias do MPAC