MPAC promove curso sobre contrabando de migrantes com especialista da Polícia Federal Americana

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio do Centro do Apoio Operacional de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), em parceria com a Polícia Rodoviária Federal, promoveu nesta terça-feira, 14, no auditório da instituição, o minicurso sobre contrabando de migrantes, ministrado pelo Adido Adjunto, Policial Federal de Imigração e Alfândega, Thiago Barcelos.

A capacitação contou com a participação de membros e servidores do MPAC, agentes da Polícia Rodoviária Federal, representantes dos órgãos de inteligência operacional das polícias federal, civil e militar e do Exército Brasileiro.

Representando a procuradora-geral de Justiça do MPAC, Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, o procurador de Justiça Danilo Lovisaro do Nascimento, que coordena o Caop de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais e também o Gaeco, enalteceu as parcerias que o órgão ministerial vem fazendo ao longo dos anos com as forças de segurança.


“Agradecemos o palestrante e as instituições de segurança pública que aceitaram o convite, pois entendemos que o controle de fronteiras é um elo muito importante no enfrentamento ao crime organizado. A troca de experiências profissionais e o conhecimento das boas práticas realizadas pela Polícia Federal americana de Imigração e Alfândega contribuirá, certamente, para uma melhor atuação dos orgãos que efetuam a fiscalização das nossas fronteiras e estreitará os laços de cooperação entre as instituições envolvidas”, disse.

De seu lado, o coordenador-adjunto do Gaeco, promotor de Justiça, Bernardo Albano, ressaltou que o MPAC tem atuado de forma conjunta com os órgãos de segurança, o que tem resultado na efetividade das ações e na elucidação de crimes e combate à corrupção.

Acre como rota de imigrantes

O Acre é rota de imigrantes, dada a sua localização geográfica. Situado ao extremo sudoeste da Amazônia, está localizado entre os estados de Rondônia e Amazonas e mais dois países, Peru e Bolívia. Desde 2010 tem recebido grande número de haitianos, senegaleses, dominicanos, e mais recentemente venezuelanos, após a crise que assola o país.

Além disso, o estado possui uma extensa faixa de fronteira com a Bolívia (618km) e o Peru (1.350). Juntos, esses dois países são responsáveis por mais de 10% de todo o cultivo de coca (matéria-prima da cocaína) no mundo, com mais de 90.000 hectares plantados. A Bolívia é considerada o terceiro maior produtor de coca, perdendo apenas para a Colômbia e o Peru, de acordo com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC).

Thiago Barcelos apresentou a interface do trabalho realizado entre as polícias americanas e a brasileira e disse que somente através da integração entre as forças de segurança, além de investimento em tecnologia e inteligência, que os crimes transnacionais serão elucidados e combatidos.

“Apresentamos um pouco da nossa experiência e alguns casos de sucesso, mas somente com a integração, cooperação e parceria dos órgãos de segurança e forças policiais conseguimos combater crimes como o tráfico e contrabando de pessoas, terrorismo, crime organizado, entre outros”, ressaltou.

Sobre o palestrante

Thiago Barcelos é formado em Justiça Criminal e Ciências Políticas pela Florida Atlantic University Em Boca Raton, Florida, Adido Adjunto, possui 13 anos de experiência como Policial Federal Norte Americano. Já trabalhou nos escritórios de Nogales, Arizona, San Juan, Puerto Rico e Adidância Brasília.

Andréia Oliveira – Agência de Notícias do MPAC

Fotos: Tiago Teles