MPAC e Polícia Federal unem-se em acordo que fortalece combate à criminalidade

A procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, se reuniu nesta terça-feira, 12, com os delegados que atuam na repressão ao crime organizado da Polícia Federal (PF) no Acre, Fares Feghali e Wagner Menezes. A agenda também teve a presença do secretário-geral do MPAC, Rodrigo Curti, e dos promotores de Justiça, Marcela Ozório (coordenadora do Núcleo de Apoio Técnico – NAT) e do coordenador adjunto do NAT, Bernardo Albano.

Na ocasião, foi celebrado um Termo de Cooperação Técnica na área de inteligência e investigação criminal, entre o MPAC e a PF, objetivando o compartilhamento das informações contidas na ferramenta “Retina” – banco de dados criado pelo NAT e setores de apoio técnico, que abrigam informações referentes a pessoas integrantes de organizações criminosas.

 

A celebração do termo permite que a Polícia Federal utilize a ferramenta para a atuação e combate à criminalidade. Fortemente utilizada pelo Grupo de Apoio Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPAC, o instrumento tornou-se ainda mais eficaz na atuação externa da atividade policial do MPAC.

“A assinatura desse convênio reflete um trabalho de integração que já vem sendo realizado há bastante tempo entre o Gaeco, o NAT e a Polícia Federal, relacionado à investigação de organizações criminosas. Hoje apenas formalizamos essa integração. Com isso a Polícia Federal passa a ter acesso ao nosso banco de dados (Retina), e a colaborar com informações que eles também possuem, no que tange a investigações que estão em andamento no órgão”, detalhou Marcela Ozório.

A procuradora- geral de Justiça destacou a importância da aproximação entre os órgãos e o trabalho integrado que cada um faz de acordo com suas atribuições.

“Essa é apenas a formalização de um trabalho que já vinha dando certo. Em nome do MPAC registramos um agradecimento especial À Polícia Federal e esperamos avançar em muitas outras parcerias e atividades que venham surgir, a fim de atender as demandas sociais, pois muito ainda precisa ser feito, apesar das melhorias que temos buscado e alcançado”, frisou Kátia Rejane.

O delegado Fares Feghali agradeceu ao MPAC e colocou o órgão a disposição para qualquer apoio que se faça necessário nessa e nas demais áreas de atuação e defesas.

“Essa parceria entre o MPAC e a PF sempre existiu, nesse momento estamos apenas consagrando o trabalho que vem sendo feito há bastante tempo. Reconhecemos o grande apoio do MP acreano nesse momento e acreditamos que este será mais um instrumento de combate ao crime organizado”, observou Feghali.

 

Ana Paula Pojo – Agência de Notícias do MPAC

Fotos: Jean Oliveira