Riscos à atividade jornalística são tema de reunião entre Sinjac e MPAC

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) recebeu na tarde desta sexta-feira (6) o presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Acre (Sinjac), Victor Augusto Nogueira de Farias.

Ele foi convidado pelo coordenador no Acre da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), promotor de Justiça Ildon Maximiano Peres, com objetivo de conhecer os riscos oferecidos à segurança dos jornalistas no exercício de suas funções.

Na ocasião, o presidente do sindicato relatou situações de perigo à integridade dos profissionais durante a cobertura de conflitos, principalmente entre facções criminosas, ameaças vindas desses grupos, bem como a falta de apoio das empresas jornalísticas em que trabalham e até mesmo dos órgãos de segurança pública.

“Essa reunião é importante para o Ministério Público por buscar uma aproximação com a imprensa, para permitir que o trabalho dos nossos jornalistas seja desenvolvido de forma adequada. A ideia era colher informações em relação a ameaças e circunstâncias que criam dificuldades para o desenvolto trabalho dos meios de comunicação. Isso foi obtido e acho que a gente pode sair daqui com boas soluções”, disse Ildon Maximiano Peres.

Segundo Victor Augusto Nogueira de Farias, foi a primeira vez que uma instituição pública procurou o Sinjac para ouvir esse tipo de demanda. “Foi uma reunião para amenizar algumas situações de confronto entre imprensa e segurança pública. Na verdade, isso dá até um ânimo para quem faz coberturas relativas à segurança”, declarou.

O promotor de Justiça Ildon Maximiano Peres, que estava acompanhado da diretora de Comunicação do MPAC, Kelly Souza, garantiu que vai levar os relatos à Enasp e à Promotoria de Justiça Especializada de Tutela do Direito Difuso à Segurança Pública para que as providências sejam tomadas e a integridade dos jornalistas seja assegurada.

Enasp

A Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp) tem o objetivo de promover a articulação dos órgãos responsáveis pela segurança pública, reunir e coordenar as ações de combate à violência e traçar políticas nacionais na área. Lançada em fevereiro de 2010, a iniciativa é resultado de parceria entre os Conselhos Nacionais do Ministério Público (CNMP) e de Justiça (CNJ) e o Ministério da Justiça (MJ).

Cada um dos parceiros desenvolve uma ação integrada no âmbito da Enasp. O CNJ trabalha para erradicar as prisões em delegacias. O Ministério da Justiça atua na criação de cadastro nacional de mandados de prisão. O CNMP implementa ações para agilizar e dar maior efetividade à investigação, à denúncia e ao julgamento dos crimes de homicídio.

 

Texto: Jaidesson Peres – Agência de Notícias do MPAC