Procuradora-geral realiza oficina de Planejamento na Regional Baixo Acre

Na tarde de quinta-feira (5), o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) promoveu uma Oficina de Planejamento Estratégico da Regional Baixo Acre, que visa alinhar diretrizes sobre o modelo de gestão da Procuradoria Geral de Justiça para o biênio 2018-2020.

A reunião técnica, que ocorreu no auditório do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcinal (Ceaf), envolveu membros e assessores que atuam na área Criminal, e faz parte da proposta de facilitar a elaboração do Plano Operacional de Atuação (POA) da unidade.

A procuradora-geral de Justiça explicou, durante a abertura do encontro, que a reunião constituiu-se como um terceiro momento de discussões, após a realização de um diagnóstico sobre as maiores necessidades da atuação da instituição na área.

“Começamos a construção do nosso plano de atuação pelo interior, dividindo em regionais, ouvindo membros e servidores sobre quais as maiores necessidades de cada regional, para que possamos priorizar recursos humanos e materiais naquilo que é mais urgente”, destacou.

A procuradora-geral agradeceu, ainda, a contribuição dos membros e servidores com as ideias lançadas e aproveitadas que, segundo ela, engrandecem a instituição.

Na ocasião, como parte de uma estratégia que visa coordenar esforços humanos e operacionais, fortalecer a cooperação e comprometer-se com os resultados locais e estruturantes, foi apresentado o plano ‘MP Resolutivo: efetividade da atuação criminal do MPAC 2018-2020’.

O plano apresenta dados sobre a atuação do MP na área criminal e traz propostas para melhoria das ações no controle e redução da criminalidade e violência no Acre. De acordo com a procuradora-geral, o MPAC vem buscando oportunidades de captação de recursos com instituições como o BNDES para viabilizar as ações previstas no plano.

 Oficinas de Planejamento

As oficinas já foram realizadas nas regionais do Alto Acre, Purus, Juruá e Tarauacá/Envira. A meta é levá-las a todas as unidades do MPAC até o dia 17 de julho, promovendo o nivelamento conceitual e metodológico do Plano de Gestão da PGJ para o MPAC.

Com isso, o MPAC busca identificar as problemáticas de cada regional, conhecer as áreas mais sensíveis que necessitam de uma intervenção e, posteriormente, delinear as respostas, tendo em vista o cumprimento integral de sua missão constitucional.