MPAC promove Oficina de Planejamento com membros e servidores que atuam na área da Infância e Juventude 

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) promoveu na tarde desta segunda-feira (9) mais uma oficina de planejamento estratégico com o intuito de alinhar diretrizes sobre o modelo de gestão da Procuradoria Geral de Justiça para o biênio 2018-2020.

Nesta oportunidade, participaram membros e assessores que atuam na área da Infância e Juventude na regional Baixo Acre. As oficinas, que percorrem cinco regionais que englobam todas as localidades onde o MPAC está presente, buscam proporcionar a compreensão do processo de elaboração dos Planos Operacionais de Atuação das unidades do MPAC e, ao mesmo tempo, fazer a escuta e levantamento das informações para a culminação do Plano Geral de Atuação da Procuradoria Geral de Justiça.

“Cada um de nós deve entender o que é a gestão, até para contribuir quando for oportuno. Essa construção do PGA coletivamente, de baixo para cima, vai nos dar mais tranquilidade e segurança, permitindo que todos se sintam inseridos neste processo e no projeto”, destacou a procuradora-geral de Justiça Kátia Rejane de Araújo, que abriu a reunião.

A procuradora-geral de Justiça salientou que, a partir das reuniões realizadas, o MP vem apresentando cartas consultas para captação de recursos com o intuito de viabilizar os projetos propostos.

Infância e Juventude

De acordo com a diretora de Planejamento e Gestão Estratégica do MPAC, Beth Oliveira, a oficina realizada nesta segunda-feira visa alinhar uma estratégia de atuação integrada para a área da Infância e Adolescência.

“A intenção é potencializar o trabalho que já é realizado nas promotorias da área, fazendo com que haja uma cooperação de esforços para alcançar os resultados pretendidos, uma vez que o indivíduo na totalidade é o mesmo na ponta, é o mesmo público para quem trabalha com as diversas áreas da criança e do adolescente, seja na proteção ou nas medidas socioeducativas”, disse.

“O que se quer é que a criança e o adolescente tenham prioridade absoluta conforme estabelece o ECA e, para isso, precisamos verificar onde podemos potencializar para que tenhamos os melhores resultados”, finalizou.

 

Thiago Fialho – Agência de Notícias do MPAC