MPAC participa do I Fórum de Discussão em Saúde Pública

O promotor de Justiça  Gláucio Ney Shiroma Oshiro,  titular da Promotoria de Justiça Especializada de Defesa da Saúde do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), participou na terça-feira (5), no Anfiteatro da Universidade Federal do Acre,  do I Fórum de Discussão em Saúde Pública – Deveres e Responsabilidades de Médicos e Enfermeiros na Promoção de Saúde, promovido Associação Médica do Acre (AMAC) .

O evento reuniu profissionais da área da saúde, como médicos e enfermeiros, gestores estaduais e municipais, e contou com a participação do presidente da Associação Médica Brasileira, Lincoln Lopes Ferreira, de representantes dos conselhos federais de Medicina e de Enfermagem para discutir o papel de médicos e enfermeiros na promoção da saúde à população.

O representante do Ministério Público participou da 1ª Mesa Redonda: Judicialização das Políticas Públicas de Saúde no Brasil – O exemplo da Portaria nº 2488/2011 do Ministério da Saúde, e da 2ª Mesa Redonda: Nova Política Nacional de Atenção Básica – Portaria nº 2.436, de 21/09/2017, que aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

“É um fórum que visa discutir a assistência saúde e as responsabilidades tanto dos médicos como dos enfermeiros nos programas de saúde, especialmente na atenção básica de saúde, que é a área que possui a maior condição de resolutividade do Sistema Único de Saúde. Apresentamos algumas ideias, talvez até discordantes, mas com a finalidade de promover um amplo diálogo e trazer novas ideias a fim de que nós nos aprimoremos na prestação de saúde”, enfatizou.

Jene Greyce Oliveira da Cruz, presidente da Associação Médica do Acre, falou da importância da participação do MPAC no evento. “A participação do Ministério Público é muito importante, uma vez que o Doutor Gláucio vai explicar e orientar aos participantes sobre a judicialização da saúde”, salientou.

O médico José Amsterdam Sandres, presidente da Academia Acreana de Medicina, também falou da importância do fórum.  “Saúde é sempre motivo de debate. Nós sabemos que os problemas da saúde estão sempre colocados na mesa dos gestores, dos profissionais da área de saúde e nunca se tem uma situação absolutamente definida”, disse.

O presidente da Associação Médica Brasileira, Lincoln Lopes Ferreira, afirmou que os problemas da saúde pública no Brasil são crônicos, o que exige a implementação de soluções urgentes para a melhoria do sistema. “Nosso sistema de saúde é um sistema de saúde subfinanciado, um sistema de saúde que carece de profundas discussões e modificações da sua maneira de ser praticado, para que ele possa atender, não só de maneira digna, de maneira cidadã a todos os brasileiros, mas que ele possa, também, levar em consideração as enormes variações, as enormes discrepâncias de realidade existentes em nosso país”, concluiu.

 Antonio Kléber- Agência de Notícias do MPAC