Membros do MPAC participam de Congresso de Ciências Criminais em SP

 

Considerado o mais importante evento da área criminal, o I Congresso Brasileiro da Escola de Altos Estudos em Ciências Criminais reuniu, nos dias 25 e 26 deste mês, na cidade de São Paulo (SP), grandes nomes do cenário jurídico brasileiro. Representando o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), participaram o procurador-geral de Justiça Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, que compôs a mesa de honra do evento, e a corregedora-geral do MPAC, Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, além dos promotores de Justiça Rodrigo Curti, Fernando Terra, Ildon Maximiano e Patrícia Paula.

Realizado pela Escola de Altos Estudos em Ciências Criminais, o evento teve como tema “A efetividade do processo penal e a macrodelinquência no país: reestruturando as ciências penais em homenagem às gerações futuras”.

Entre os conferencistas estavam o juiz da 13ª Vara Criminal de Curitiba, Sérgio Moro, que falou sobre ‘Questões controvertidas sobre corrupção e lavagem de dinheiro’. Já o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da Força Tarefa do Ministério Público Federal (MPF) na Operação Lava Jato, palestrou sobre o combate à corrupção e à impunidade.

 

 

O procurador de Justiça Criminal do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP), Edilson Mougenot Bonfim; e o procurador de Justiça do MPSP, Rodrigo Chemim, entre outras autoridades do meio jurídico, também tiveram participação de destaque no evento.

A Escola de Altos Estudos em Ciências Criminais é única do gênero na América Latina e foi desenvolvida a partir de experiências exitosas na Europa e no Brasil. Foi pensada para ser não somente um marco divisor na forma de estudo e visão das ciências criminais no Brasil, como também para fomentar as bases e ideias para um novo Direito Penal brasileiro.

Kelly Souza- Agência Notícias do MPAC