Escola do Poder Judiciário e MPAC fortalecem parceria institucional

A procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, recebeu nesta quinta-feira, 08, o diretor da Escola Superior da Magistratura do Acre (Esmac), do Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC), desembargador Roberto Barros. A visita institucional foi para tratar de parceria entre a Escola do Poder Judiciário e o Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf) do MPAC.

Kátia Rejane que participou ontem no TJAC da abertura dos trabalhos judiciais de 2018, destacou novamente a importância das parcerias e da harmonia entre as instituições e os poderes constituídos.

“É de extrema importância para nós, toda e qualquer ação promovida com base na cooperação mútua que favoreça as atividades curriculares e extracurriculares, que possibilitam o desenvolvimento da cidadania, mediante a difusão e conscientização de direitos, deveres e valores, bem como atividades complementares de interesse comum”, destacou a procuradora-geral de Justiça.

Roberto Barros falou sobre a visita e a importância do trabalho conjunto. Também colocou a Escola do Poder Judiciário à disposição do Parquet acreano, para as demandas que se fizerem necessárias.

“O poder judiciário, por meio da Escola da Magistratura do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, está à disposição para trabalhar em conjunto com o Ceaf. No que precisar, o MPAC pode contar com a cooperação do judiciário por parte da escola”, garantiu o desembargador.

A Escola da Magistratura, que se transformou na Escola Judicial para magistrados, servidores e colaboradores, já possui uma parceria com o MPAC há algum tempo, por meio do Ceaf. Ao longo de 2018, a ideia é avançar para traçar novas atividades conjuntas, nas quais, duas ações já estão previstas para ocorrer em março e junho deste ano.

O Ceaf

O Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF), coordenador pela procuradora de Justiça Patrícia Rego, é um órgão auxiliar do MPAC, que tem como finalidade precípua a promoção do conhecimento jurídico e a valorização e aproveitamento do patrimônio intelectual e cultural de seus Membros e servidores.

Tem como objetivo operacional planejar, coordenar, executar, supervisionar, controlar e avaliar as atividades de formação, capacitação e desenvolvimento funcional dos servidores integrantes das carreiras do órgão, formulando políticas para obtenção, preservação, compartilhamento e disseminação do conhecimento.

Cabe ao CEAF, alinhar suas atividades, seus cursos de formação, à gestão modernizada, promovendo capacitações que atendam à execução das metas institucionais prioritárias. Numa outra vertente, compete também a formação do novo servidor, preparando-o adequadamente para seu papel de agente político de transformação social. Isso por meio de capacitações que levem em consideração a multidisciplinaridade.

 

Ana Paula Pojo – Agência de Notícias do MPAC