Dando continuidade às atividades, ‘MP na Comunidade’ ouve lideranças

O projeto ‘MP na Comunidade’ ouviu, nesta quarta-feira (11), representantes das associações de moradores da Regional do São Francisco, como já havia feito na Regional da Sobral. Reunidos no Centro da Juventude, os líderes aderiram à iniciativa do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) e relataram os principais problemas que enfrentam.

O propósito é produzir informações e conhecimento sobre a realidade local, permitindo subsidiar procedimentos extrajudiciais por parte dos órgãos de execução do MPAC com os representantes dos órgãos estatais afetos aos problemas apresentados por cada regional.

Nesse sentido, a autocomposição passa a ser uma estratégia do projeto, visando dar maior efetividade aos seus trabalhos, cuja previsão é percorrer as 10 regionais de Rio Branco até o fim do ano, ouvindo as lideranças comunitárias dessas localidades.

“O trabalho do MPAC visa ao bem-estar da população, por isso devemos estar próximos do cidadão ouvindo suas demandas, e é isso o que o ‘MP na comunidade’ vem fazendo, além do atendimento aos cidadãos que procuram a instituição na sede principal”, disse o coordenador do projeto, procurador de Justiça João Marques Pires.

Para o presidente da União Municipal das Associações de Moradores de Rio Branco (Umamrb), Oseias Silva, existem muitas pendências nas comunidades, e a intervenção do MPAC vai ser decisiva na solução de questões sociais.

“Quando o MP toma essa decisão de se aproximar da comunidade, de estar mais presente na resolução das demandas do bairro, a gente fica muito feliz. A gente tem a chance de conquistar melhores condições de vida de mãos dadas, lideranças comunitárias e todos os órgãos.”

Preocupada com a problemática de infraestrutura que vem se arrastando há um tempo, tais como esgoto, falta de calçadas e iluminação pública, a presidente da Associação de Moradores do Conjunto Oscar Passos, Adalnira Nogueira, esteve presente no encontro e destacou a importância das parcerias com o movimento comunitário. “É muito bom o Ministério Público trabalhar em parceria com as lideranças da nossa regional”, declarou.

A coordenadora operacional do ‘MP na Comunidade’, Josenira Oliveira, falou da nova dinâmica.  “Esse modo é mais resolutivo, baseado na autocomposição, na mediação de conflitos, onde a comunidade, através da sua representatividade, traz as demandas prioritárias, e com as quais o MP vai atuar como indutor, mediador com o poder público.”

 

O projeto

O projeto ‘MP na Comunidade’ é uma das maiores atividades do MPAC e tem beneficiado milhares de cidadãos em todo o estado que, muitas vezes, encontram dificuldade para acessar direitos básicos. Sua finalidade é possibilitar o acesso aos serviços públicos sem nenhum custo e tentar dar resolutividade para as demandas dos cidadãos, primordialmente na forma extrajudicial. Desde 2013, em 62 edições, cerca de 50 mil atendimentos já foram efetuados, correspondendo a uma média de 900 atendimentos por edição.

Jaidesson Peres – Agência de Notícias do MPAC