Começa a 2ª Reunião Ordinária do Fórum Nacional de Gestão 2017

Começou nesta terça-feira, 1º de agosto, e prossegue até amanhã, dia 2, a 2ª Reunião Ordinária do Fórum Nacional de Gestão (FNG) 2017, promovida pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). O evento, que está sendo realizado no Hotel Royal Tulip, em Brasília, foi aberto pelo conselheiro e presidente da Comissão de Planejamento Estratégico (CPE) do CNMP, Orlando Rochadel Moreira.

Representando o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), estão presentes o procurador-geral de Justiça, Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, a corregedora-geral do MPAC, Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, o ouvidor-geral do MPAC, João Pires e os promotores de Justiça Rodrigo Curti, Almir Fernandes e Bernardo Albano.

Os diretores do órgão, Socorro Camelo (comunicação), Kelly Souza (imprensa), Paulo Roberto Simão (Tecnologia da Informação), Reginaldo Prates (financeiro), Sandro Caldeira (administração) e Ronney Silva (gestão de pessoas) também estão no evento.

Em seu discurso, o conselheiro Orlando Rochadel citou alguns trabalhos realizados pela Comissão de Planejamento Estratégico nos últimos dois anos: workshops em gestão de projetos e de revisão de indicadores, atualização do Banco Nacional de Projetos, realização de três edições do Prêmio CNMP, ações nacionais estruturantes nas área meio e fim e a 5º Mostra de Tecnologia da Informação do Ministério Público.

Rochadel destacou, também, que nestes últimos dois anos, foram elaborados cinco marcos referenciais, editados em atos normativos do CNMP relativos a áreas-meio do Ministério Público: Resolução nº 147/2016 (dispõe sobre o planejamento estratégico nacional do Ministério Público e estabelece diretrizes para o planejamento estratégico do CNMP, das unidades e ramos do MP); Recomendação nº 52/2017 (recomenda aos órgãos que compõem o MP brasileiro que implementem a Política Nacional de Gestão de Pessoas, mediante ação do correspondente ato administrativo); Resolução nº 171/2017 (institui a Política Nacional de Tecnologia da Informação de MP);Recomendação nº 58/2017 (estabelece a Política Nacional de Comunicação Social do MP brasileiro), e a proposta de Política Nacional de Gestão Orçamentária, em tramitação.

O conselheiro afirmou que “é preciso haver normatização para as unidades e ramos do MP falarem a mesma língua. Espero que os MPs recebam esses atos como documentos de parceria, não de cobranças”.

Em seguida, o procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Estado de Santa Catarina (MP/SC) e presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG), Sandro Neis, disse que o dia é muito especial, tendo em vista que o CNMP, ao realizar mais uma reunião do Fórum Nacional de Gestão, dá mais um passo em busca da estabilização e da unidade do MP, respeitando a essência e a autonomia de cada uma delas. “Receba do CNPG o nosso reconhecimento da importância deste momento e em relação ao trabalho de gestão exercido pelo CNMP”, concluiu Neis.

Por sua vez, o procurador-geral de Justiça Militar, Jaime de Cássio Miranda, elogiou o planejamento estratégico do CNMP, motivo pelo qual, na sua opinião, a instituição está à frente do tempo.

De acordo com Paulo Cezar dos Passos, procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MP/MS), “somente com comprometimento e planejamento sério, podemos manter o MP como maior instrumento de controle social”

Para o procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Maranhão (MP/MA), Luiz Gonzaga Martins, o FNG é “um momento para refletirmos sobre o futuro do MP e para que possamos trabalhar unidos para o fortalecimento da instituição”.

Também em discurso, a presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Norma Angélica Cavalcanti, afirmou que espera do FNG a unificação de pensamento do MP. Ela complementou que o Ministério Público deve dialogar com a sociedade para enfrentar o momento de crise por que passa o País.

Mesa de abertura -Além do conselheiro Orlando Rochadel, dos procuradores-gerais de Justiça e da presidente da Conamp, compuseram a mesa de abertura da 2ª Reunião do FNG 2017 o conselheiro do CNMP Fábio Stica; o secretário-geral do CNMP, Guilherme Raposo; a vice-procuradora-geral do Trabalho, Cristina Aparecida Brasiliano; o subprocurador-geral de Justiça Militar Marcelo Weitzel; o promotor de Justiça do MP/GO Lauro Machado; o procurador-geral de Justiça de Roraima do MP/RR e corregedor nacional do MP no biênio 2013-2015, Alessandro Tramujas; o coordenador-geral do FNG e promotor de Justiça do MP/MS, Paulo Roberto Ishikawa; os membro auxiliares da CPE e promotores de Justiça do MP/SE Anderson Viana, Raymundo Ximenes e Alexandro Sampaio; o membro colaborador da CPE e promotor de Justiça do MP/MG, Jairo Moreira; o membro colaborador da CPE e promotor de Justiça do MP/MT, Douglas Strachicini; e o secretário-geral da Secretaria de Gestão Estratégica do CNMP, Weskley Rodrigues.

Plenária – Após a solenidade de abertura, o coordenador-geral do FNG, Paulo Ishikawa, iniciou a plenária de nivelamento dos comitês. Ele falou que o planejamento estratégico deve ser visto com ar diferenciado e necessário para que haja a visão mais concreta de onde a instituição quer chegar.

Hoje e amanhã, os comitês se reunirão para tratar dos respectivos projetos. Ao final, eles serão apresentados e serão realizadas as deliberações finais. O FNG é composto pelos seguintes comitês: Políticas de Gestão Administrativa; Políticas de Gestão de Pessoas; Políticas de Gestão Orçamentária; Políticas de Comunicação Social, e Políticas de Tecnologia da Informação.
1º/8/2017 - 1º dia da 2º Reunião do Fórum Nacional de Gestão do MP 2017. Local Hotel Royal Tulip. Brasília/DF.

 

Fonte: cnmp.mp.br